Startups, movimento maker, Fab Lab e interdisciplinaridade: é preciso ir além do projeto acadêmico convencional.

Veja se você concorda com as seguintes hipóteses referentes ao conhecimento dos gestores de IES:

  1. De modo geral, os gestores desconhecem as startups de educação e as soluções que elas podem trazer para as demandas acadêmicas e administrativas das IES;
  2. Eles também não conhecem o movimento maker e como um Fab Lab pode colaborar com o aprendizado dos estudantes;
  3. Os gestores são poucos ousados, quando pensamos em processos de inovação acadêmica, com impacto no currículo;
  4. Eles não conhecem o perfil e as demandas dos jovens que ingressam na instituição.

Provavelmente a leitura das hipóteses incomodou você. A intenção é justamente incomodar e provocar o leitor a refletir e discutir os temas indicados acima. A IES que você trabalha tem discutido esses temas? Pois saiba que, em tempos de alta competitividade, escassez de recursos, fácil acesso a tecnologia, novas formas de comunicação e mudança do perfil dos jovens, não há alternativa senão rever o projeto acadêmico.

Temas como startups, movimento maker, Fab Lab, aprendizagem ativa, concepção acadêmica interdisciplinar que rompa com a fragmentação das disciplinas precisam entrar na agenda dos professores e gestores das IES. Relembramos uma velha máxima: não podemos fazer as mesmas coisas e esperar resultados diferentes.

Se estamos em tempo de crise e de incertezas, também estamos em tempo de oportunidades. O 19º FNESP quer apresentar para os participantes do evento, as possibilidades de reconstrução do projeto acadêmico e administrativo.

Incentivar as startups pode representar um grande impulso ao empreendedorismo e à inovação na IES. Aproximar-se das startups de educação via Associação Brasileira de Startups pode representar a solução de diversas demandas das IES. Definitivamente, o ensino superior não pode desconhecer as soluções das startups de educação.

Da mesma forma, se acreditamos no aprendizado “mão na massa” é preciso entender o significado e o impacto do movimento maker e dos Fab Labs, no projeto acadêmico institucional.

O Semesp convida todos os interessados em construir sistemas inovadores na IES, a participarem do 19º FNESP. O evento irá apresentar experiências concretas de pessoas e de IES que, com atitudes e bom planejamento, estão reconstruindo projetos institucionais.

No dia 29 de setembro teremos uma sessão em que o tema será: Inovação: repensar a sala de aula, focar a aprendizagem e investir em tecnologia e fomentar o movimento maker e a startup.  Teremos a participação de Daniel Machado, que é da ABS (EdTech), Siron Pereira, do Fab Lab da FACENS, e Fagner Oliveira, que é da UNIPLAM, uma IES do interior de Minas Gerais que refez seu projeto acadêmico e tornou-se uma referência em inovação.

Não perca a oportunidade, e venha participar do FNESP!